quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Feliz Aniversário Fê!!



Hoje coube a mim a função de falar da nossa companheira de blog.

Mas venho aqui representar todas as outras blogueiras Fanáticas.

O que falar de Fê Santana?

Conheci a Fê pelo twitter através do Fã club que ela fez em homenagem ao nosso zagueiro de ouro Alex Silva (@fcalexsilva), e de verdade virei fã da Fê.

Juntas decidimos dar ínicio nesse blog, convidamos, Adri e Ana, e por último a Dani.

Hoje tenho o privilégio de falar dessa companheira! Fê, não vou falar de você, vou falar pra você:

Uma menina teimosa, e muito convincente quando quer, isso é um defeito?

Não, ao meu ver uma qualidade que demonstra o quanto tem personalidade e o quanto tem peso a sua opinião.

Alterações de humor brucas, quem não as teria?

Qualquer um teria em seu lugar, com tantas responsabilidades que assume e com tantos compromissos que tem!

Inteligente, uma das qualidades que mais admiro em você é a sua inteligência, sou fã de seus textos, e da sua forma de se expressar.

E sabe Fê, descobri em você uma amigona com certeza, desde o ínicio nos identificamos e nos gostamos verdadeiramente.

Eu desejo de coração que você seja muito feliz, e que alcance todos os seus objetivos e sonhos.

Se é Deus quem aponta a estrela que tem que brilhar, Ele com certeza apontou pra você, minha companheira de blog e amiga na vida!

Não sei como te definir, porque realmente é dificil definir você, mesmo com a facilidade que tenho para me expressar através das palavras, está dificil pra eu encontrar palavras pra falar de você.

Então vou dizer apenas que te admiro, por tudo o que você é como pessoa, pelo seu caratér, pela Fernanda amiga, pela Fernanda escritora, pela Fernanda família, falando dos irmãos sempre com carinho, e pela Fernanda São Paulina Fanática que conheci nesse twitter.

Obrigada por fazer parte das nossas vidas!

Seja feliz e aproveite seu dia é o que todas nós fanáticas desejamos a você!


Beijos, May!



Ah não quero ficar de fora dessa homenagem! Fê, minha preferida marrentinha, de um sorriso e coração que eu adoro!!!

Assim como a May, não tenho palavras pra definir você e muito menos nossa amizade, que é tão especial pra mim. Simpatizei contigo desde o primeiro dia que tive a petulância de perguntar quem estava por trás do fã clube e hoje tenho em você uma companheira de fã clube, de torcida, de blog (sempre maravilhoso escrever e ler contigo) e mais que isso, tenho em você uma grande amiga.

Desejo pra ti hoje, Fêzinha, luz, paz, saúde, coisas boas e claro desafios, porque é assim que a gente cresce e com sua força e determinação jamais vão te derrubar!


Acho que o texto era da May, né? hahaha...


UM FELIZ ANIVERSÁRIO DO TAMANHO DO MUNDO PRA TI!!!!


Beijos

Adri.




segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Vasco 1 x 1 São Paulo

Boa tarde, queridos Tricolores!

Ontem tivemos mais um jogo do nosso Mais Querido e agora podemos dizer com todas as letras que o sonho de estar na Libertadores acabou.

Jogamos em São Januário contra o Vasco e só a vitória nos interessava, mas ao contrário do que se esperava o São Paulo não estava muito empenhado em ganhar. O Vasco dominou o meio de campo e Rogério Ceni foi o destaque do jogo, pena que o Éder Luís acertou um chute impossível de pegar mesmo pro Mito. A grata surpresa foi ver Lucas Gaúcho, em seu segundo jogo como profissional, fazer um golaço de LETRA! E assim ficamos no 1 x 1.

O mais incrível desse jogo nem foi o placar ou o desempenho dos jogadores, foi ver a torcida contra o time, pois agora sem chance nenhuma de Libertadores, podemos então entregar o jogo pro Flu. Nesse domingo algo ficou errado, pessoas trocando o Tricolor Paulista pelo Tricolor Carioca dizendo que isso é amor ao clube e anti-gambá. Vou pensar o que?

Se antes desse jogo os pedidos para que o SPFC entregue o jogo já eram grandes, hoje é quase unanimidade. O Flu não fez a parte dele contra o rebaixado Goiás, será mesmo que o Mais Querido deve entregar o jogo, pagar com a mesma moeda o Corinthians, ajudando um time que por si só já não consegue ser campeão?? Vocês acreditam que vai adiantar manchar nossa história entregando o jogo?? Colocar a garotada em um teste de fogo?? Pensem...

No próximo ano temos um grande desafio pela frente, repensar o nosso futebol e ainda voltar a elite sul-americana e se possível conquistar as duas competições que ainda não temos: a Copa do Brasil e a Sul-americana.

Eu serei mais torcedora do que nunca independente do que disputarmos, mesmo com o desejo de estar na Libertadores sempre! Quero que esse sentimento não seja só meu!

Um grande abraço sempre Tricolor,

Adri Ribeiro.

Crédito: Alexandre Loureiro/VIPCOMM

sábado, 13 de novembro de 2010

Vasco x São Paulo

Rodrigo Souto e Ricardo Oliveira estão fora da partida contra o Vasco
Dupla nem foi para o gramado neste sábado e ficará no Reffis para ficar à disposição de Carpegiani para a partida do dia 21, contra o Fluminense


O São Paulo não poderá contar com o volante Rodrigo Souto e com o atacante Ricardo Oliveira na partida deste domingo, contra o Vasco, que será realizada em São Januário, neste domingo, a partir das 19h30m. O primeiro, com uma lesão nas costas, e o segundo, com tendinite no joelho esquerdo, nem foram para o gramado neste sábado. Eles seguirão no Reffis fazendo tratamento intensivo para estarem recuperados para o duelo do próximo dia 21, contra o Fluminense, que será realizado em Barueri.
Sem os dois titulares, o técnico Paulo César Carpegiani já definiu os substitutos. No meio-campo, o garoto Zé Vítor, de 18 anos, terá a sua primeira chance como titular. No ataque, Ricardo Oliveira será substituído por Fernandão, que deixará o meio-campo. O camisa 15 terá mais uma oportunidade para quebrar o jejum de 11 jogos sem balançar as redes adversárias. Seu último gol aconteceu no dia 19 de setembro, na vitória de 2 a 0 sobre o Palmeiras.
Com a ida de Fernandão para o ataque, quem herda um lugar na meia é Jorge Wagner, que foi muito elogiado pela comissão técnica pelo futebol mostrado no segundo tempo do clássico contra o Corinthians. O jogador se prepara para se despedir do clube. Seu vínculo termina no dia 31 de dezembro e ele já assinou um pré contrato com o Kashiwa Reysol (JAP), clube treinado pelo técnico Nelsinho Baptista e que também conta com os ex-são-paulinos Roger e França.
O São Paulo enfrentará o Vasco neste domingo com: Rogério Ceni; Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Zé Vítor, Carlinhos Paraíba, Lucas e Jorge Wagner; Dagoberto e Fernandão. Com 50 pontos na tabela e ocupando a nona colocação, o time não pode nem pensar no empate em terras cariocas se quiser continuar com chances de disputar a Taça Libertadores da América de 2011.
Fonte: GloboEsporte.com (Marcelo Prado)

Titular do São Paulo, Zé Vitor diz: 'É o jogo da minha vida'
Volante estreiará como titular contra o Vasco, em São Januário
A partida deste domingo contra o Vasco, em São Januário, além de ser essencial para o objetivo do São Paulo de chegar à Libertadores, será especial para um jogador em particular: Zé Vitor. O volante, de 19 anos, fará sua estreia como titular pela equipe profissional. Neste sábado, ele deu sua primeira entrevista coletiva e falou sobre a ansiedade que tem vivido desde que o técnico Paulo César Carpegiani cogitou utilizá-lo.
- Ainda não estou confirmado, mas estou na expectativa. É uma grande oportunidade. Estou trabalhando forte, o Carpegiani tem me elogiando, agora é entrar e fazer uma grande partida. É o jogo da minha vida - disse o camisa 35.
Zé Vitor atuará no lugar de Rodrigo Souto, que será desfalque por conta de dores nas costas. Ele nem foi a campo no último dia de trabalho da equipe antes do confronto e ficou no Reffis. O garoto, assim, atuará como primeiro volante, posição à qual, segundo ele, já está adaptado desde os tempos das categorias de base, mesmo tendo atuando mais como segundo.
- Não é uma mudança tão grande. Na base, eu também jogava como primeiro volante, para dar liberdade ao Casemiro, a gente alternava bastante - explicou.
Zé Vitor já disputou seis partidas pelo São Paulo desde que subiu para os profissionais este ano. Ele estreou contra o Flamengo, no primeiro turno, na vitória de 2 a 0, no Morumbi. Nada que se compare à partida deste domingo.
- Será um dia especial, vou conversar com os mais chegados, pedir proteção. Será um domingo especial, não vejo a hora de chegar a hora do jogo. É difícil controlar a ansiedade. Estou torcendo demais para que chegue a hora da partida.
Fonte: LanceNet

Questionado sobre mala branca, Carpegiani pede seriedade
Com quatro rodadas para o final do Campeonato Brasileiro, a possibilidade de um determinado time mudar sua conduta em campo para favorecer ou prejudicar outro é assunto corrente. Questionado sobre a chamada mala branca (incentivo financeiro para ganhar partidas), o técnico são-paulino Paulo César Carpegiani pediu seriedade nesta sexta-feira.
"O futebol tem que ser mais sério, tem que ser tratado com mais responsabilidade pelas pessoas que comandam. Quando ouço falarem de mala branca, posso até pensar que exista isso, mas é lamentável tanto para ganhar quanto para perder", declarou o treinador.
O próximo compromisso do São Paulo no Campeonato Brasileiro é diante do Vasco. No entanto, a possibilidade de o time amolecer na rodada seguinte contra o Fluminense para prejudicar o rival Corinthians dominou as entrevistas no CCT durante a semana, situação que chegou a irritar nomes como Jean e Fernandão.
"Somo profissionais e temos entrar em campo paga ganhar. Quando oferecem um prêmio extra por vitória, não traz benefício algum. As coisas têm que ser mais sérias sob todos os aspectos. Quando vem esse tipo de pergunta, é porque acontecem casos. Mas lamento ter que responder sobre isso em momentos como esse", afirmou o treinador.
Ao pedir seriedade, Carpegiani chegou a citar o confronto entre Ceará e São Paulo. Na ocasião, a CBF negou um pedido de mudança de horário enviado pelo Tricolor e manteve o jogo para as 15h de Fortaleza. A entidade alegou que a requisição foi feita fora do prazo, mas o início do duelo diante do Vasco também foi alterado, teoricamente, fora do prazo por pedido da emissora que detém os direitos de transmissão.
"Tem tantas coisas ruins que acontecem no futebol e que o torcedor fica desgostoso. A direção do São Paulo tentou a mudança de horário, mas as regras não são seguidas como têm que ser. Tem time que joga em um horário que ninguém joga", reclamou Carpegiani.
Apesar de o campeonato por pontos corridos possibilitar que uma equipe interfira na vida da outra, o técnico são-paulino defende a fórmula. "Eu sou a favor, porque valoriza o trabalho bem feito. O torneio é longo, competitivo e premia as equipes que são mais regulares", encerrou Carpegiani.
Fonte: Gazeta Esportiva (Bruno Ceccon)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Já que o presente tá ruim, vamos lembrar do passado...


Tudo bem que quem vive de passado é museu, mas já que é pra lembrar de vitórias em cima dos gambás, vamos lembrar do começo...
Em 1931, com apenas um ano de idade, o São Paulo foi ao campo do Corinthians (já com 21 anos) para assistir à final do campeonato. Na arquibancada, a torcida do São Paulo, que nem sonhava em ser Independente, ainda tinha o grito:


Arakan - balan - bakan
arakan - balan - bakan
Tumerê - Tumerá
Ma-cam-bê Bê-cam-bê-cá
Rico-réco Rico-rá
Rá - Rá - Rá
São Paulo - São Paulo - São Paulo

No campo, grandes nomes, de fazer chorar quem vê Renato Silva em seu atual time: Araquem Patuska, Friednrich, Luizinho, Armandinho...

16h30, apita o árbitro!

Arakan - balan - bakan
arakan - balan - bakan
Tumerê - Tumerá
Ma-cam-bê Bê-cam-bê-cá
Rico-réco Rico-rá
Rá - Rá - Rá
São Paulo - São Paulo - São Paulo


E como era hábito, a superiordade do São Paulo sobre os pintinhos (1931, nem galinhas eram ainda) era marcante. 3 a 0 ainda no primeiro tempo de jogo. E o escrete era tão bom que até os torcedores do Corinthians os aplaudiam.

Na volta para o segundo tempo, o Corinthians marca um, mas o gol nem teve tempo para ser comemorado. Em jogada da direita, Armandinho para Araken, que domina de primeira e engaveta. 4 a 1.

Primeira taça do São Paulo. Em cima de quem? VAMOS LEMBRAR DO PASSADO ENTÃO, DIRETORIA? VAMOS LEMBRAR DO PASSADO ENTÃO, JOGADORES DO SÃO PAULO???

domingo, 7 de novembro de 2010

SPFC é para os Gambás como uma Mãe para um filho!!

Vencemos o Cruzeiro, perdemos para as frangas e temos o Fluminense pela frente. Jogamos com hombridade e tivemos maior posse de bola, mas não foi o suficiente, as jogadas do Corinthians foram muito mais perigosas, e foi por essa razão que saíram os dois gols.

O SPFC está entregando o campeonato para os gambás, como uma mãe dá um presente para um filho e isso é revoltante para qualquer torcedor, estamos cansados de perder para galinhas sem história, sem estádio, e que na realidade são nossas freguesas. É simplesmente inadmissível.

- Eu quero um Camisa 10 Juvenal Juvêncio!!

Foi por isso que não saiu o gol, não temos um Camisa 10.

Os nossos meninos fizeram o que puderam, Ilsinho (craque), Jean, Lucas, Alex Silva, Ricardo Oliveira, Dagoberto, Jorge Wagner, Rogério Ceni, Carpegiani e todos os outros jogaram com raça e com vontade. E isso me orgulha muito, pois além de craques temos profissionais, diferentemente do nosso adversário, me desculpem os corinthianos, mas o que o jogador Dentinho faz é antiprofissional, ele não tem respeito nem profissionalismo nas suas veias e é por isso que NUNCA será um jogador de seleção, NUNCA terá um título importante.

Não só eu, mas também o mundo admira o Ronaldo exatamente por ele ser diferente, ele por exemplo foi um bom profissional, veja bem, “foi” um bom profissional, porque hoje ele não jogou nada, só caiu e cometeu faltas.

Elias e Dentinho foram os autores dos gols, 2x0 para as frangas.

Esse jogo me entristeceu muito, e fez com que esse pós-jogo se tornasse um desabafo!

Eu fiz o que podia, vesti minha família, sentei no meu lugar preferido, zoei as minhas vizinhas gambás, xinguei bem o Neto e o Luciano do Vale, mas não adiantou.

Agora é levantar a cabeça e ajustar nosso tão amado tricolor, recomeçar, reerguer, revigorar!!

Este ano não foi o melhor ano do SOBERANO, mas isso não é o fim do mundo, afinal SÓ NÓS somos o melhor do mundo, só nós somos hexa e com louvor porque além de hexa somos tri-hexa, só nós somos tri-mundial, só nós somos tricampeões da taça Libertadores, e é isso que vai nos fortalecer, deixemos que as frangas comemorem, elas só têm esta alegria, que venha 2011.

Como eu te amo tricolor, como eu te amo demais, o dia em que tu não existir não quero sorrir nunca mais!!!

sábado, 6 de novembro de 2010

Eu quero comer galinha!



Para Roberto Carlos, a galinha da coxa grossa, o time da Marginal s/nº tem a obrigação de vencer... Não gambá, a obrigação é nossa!
Em um tabu de mais de três anos sem vencer de um clube rídiculo cujo único título internacional que ostenta é um brinde da FIFA, os jogadores do escrete tricolor têm sim a obrigação de vencer o jogo de amanhã. Por quê? Listemos os motivos:
  • Porque jogamos em casa. O Morumbi lotado de tricolores (quase 22 mil ingressos vendidos até ontem, inclusive o meu), empurrando o time;
  • Porque precisamos de mais três pontos para chegar à zona de classificação da Libertadores;
  • Porque ganhamos do Cruzeiro, terceiro colocado, com a mesma pontuação dos gambás;
  • Porque já faz três anos que estamos em jejum de frango.

Temos alguns problemas, é claro. Suspenso pelo cartão tomado no último jogo, Carlinhos Paraíba desfalca o meio que estava produtivo, e causa dor de cabeça para o "professor" Carpegiani. No treino da sexta-feira, o treinador testou possíceis escalações, com o treino fechado para a impressa, o que não é comum fazer. Após o tr

eino, Carpegiani assumiu estar em dúvidas e adiantou que só vai definir o time que enfrenta o clube sem mundial após o treino de sábado.

Como Ricky pegou um gancho de 2 jogos pela
expulsão contra o Santos (alguém duvidaria que não jogaria contra os gambás?), Carpegiani poderá optar por Diogo ou Carleto na lateral e devolver Jean à sua posição de origem, colocando Ilsinho na lateral direito ou até mesmo improvisar Renato Silva (oremos!)

O técnico também apontou a possibilidade de atuar com três zagueiros. Ai, Renato Silva entraria na zaga (cadê o Xandão, Jesus?), Jean seguiria na lateral, e no meio Casemiro ou Cléber Santana. A frente seguiria igual, independente do esquema adotado.

E nós, torcedores tricolores, temos que fazer a nossa parte. Não adianta ficar em casa 'xingando muito no twitter', vamos pro Morumbi, lotar a nossa casa e comer galinha! Até o Felipe Massa, que vai correr o GP Brasil, vai, porque você não pode ir? Bóra lá, a bilheteria ficará aberta até as 13h! O seviço completo do jogo está em http://www.saopaulofc.net/v4/noticias2NOVO2.asp?PLC_map_001_c=02.01&PLC_cng_ukey=404




Charge do Diário Lance de 05/11/2010.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Rogério MITO Ceni!


É um maestro da bola, goleiro e artilheiro.
Mito: Personagem fato ou particularidade que não tem sido real, simboliza não obstante uma generalidade que devemos admitir. Coisa ou pessoa que não existe, mas que se supõe real. Coisa só possível por hipótese, quimera.
Ídolo: Imagem de falsa divindade que é objeto de culto. Figura, objeto de grande paixão.
Exemplo: Aquilo que pode ou deve ser imitado, modelo, lição.
Essas são definições do dicionário, mas vamos lá com minhas definições e interpretações...
Mito: Rogério Ceni.
Ídolo: Rogério Ceni.
Exemplo: Rogério Ceni.
Mito incontestávelmente, superior a qualquer outro goleiro do Brasil. Ídolo admirado e venerado pela torcida, exemplo dentro e fora de campo, dono da minha devoção!
Não vou falar da história do Rogério, da sua data de nascimento, da sua biografia, nem de tudo o que todo mundo já sabe.
Estou aqui pra falar do amor que nós torcedores endereçamos ao nosso ídolo.
Quando falo do goleiro do Morumbi, tenho a sensação de que se citado daqui alguns anos, vai dar a impressão de que não existiu, e de que quem conta a sua história inventa e exagera...
Ainda bem que temos imagens para registrar, e diga-se de passagem, que imagens!
Defesas maravilhosas, espetaculares, habilidade fantástica e muito superior a de todos que jogam nessa posição.
Títulos? São infindos no São Paulo, Rogério com 20 anos de carreira tem títulos que clubes veteranos não ousaram conquistar.
E o que falar de seus gols?
Ao longo desses 20 anos nosso mito balançou as redes por 92 vezes pra nós!
Sempre há alguém pra falar mal de quem é destaque, isso é normal entre mortais, talvez apontando as falhas, tiremos o foco do tão bem visto e elogiado e o voltemos para nós! É mas isso não apaga o brilho do nosso bem amado defensor!
Rogério Ceni falha, e quem não o faz?
Todos falhamos, na vida profissional ou não!
Mas o mito do gol tem créditos, por que sempre que falha, conserta seu erro, porque trouxe muito mais alegria para o clube do que qualquer momento de tristeza, porque sempre que falhou foi tentando acertar, porque veste a camisa do tricolor paulista, ama o que faz e ama ao SPFC, porque tem raça e joga com amor!
Quando Rogério entra em campo sentimos segurança, sabemos que tem alguém ali brigando por nós, brigando de verdade, se doando ao máximo!
Mito´, ídolo, exemplo, são poucas essas palavras pra definir Rogério Ceni, eu acrescentaria: raça, disciplina, maestria, superioridade...
E ficaria aqui acrescentando!
Portanto para não tornar essa leitura cansativa e nem redundante vou simplificar, ou pelo menos tentar resumir Ceni:


A bola não escapa de suas mãos
Com a bola nos transmite emoção
Nos alegra com ela nos ares, ou com ela no chão.
É mito, é ídolo, é amado
Pra quem fala de presente,
pra quem fala de passado.
É hoje idolatrado
E assim será mais adiante
Rogério assim como o São Paulo
Dentre os grandes és o GIGANTE!


Só nós temos ROGÉRIO CENI!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

O Freguês voltou!!!


A torcida do Cruzeiro está cantando "O Campeão Voltou" como se esse grito pertencesse a eles. Nós é que podemos voltar a cantar desta vez, e digo mais, podemos cantar "O Freguês voltou", porque o Cruzeiro não quer saber mais de ganhar so tricolor paulista né?!

Mas o início do jogo foi um pouco mais complicado, os mineiros estavam com maior posse de bola e o SOBERANO estava falhando na marcação. Miranda fez o primeiro gol, mas não valeu, infelizmente estava impedido. Num outro lance Dagoberto quase fez um golasso também, este não estava impedido, seria de cobertura, mas o zagueiro adversário tirou.

Ainda no primeiro tempo Gilberto bem que tentou quebrar a perna do nosso garoto Lucas, mas graças a Deus não conseguiu, foi um lance pra expulsão, uma entrada criminosa, mas nosso menino ficou bem, tão bem que aos 13 min. do segundo tempo fez um baita golasso depois de uma tabela com Dagoberto, numa velocidade absurda o menino prodígio marcou o primeiro gol do jogo, e esse valeu, 1x0 tricolor!

O jogo ia bem, Fernandão saiu para a entrada de Renato Silva, depois saiu Lucas e Marlos entrou em seu lugar e pra terminar as substituições saiu Dagoberto aos 43 min. para a entrada de Cleber Santana.

E foi quando Ricardo Oliveira tentou invadir a área e sofreu uma falta dentro dela. Penalidade máxima a favor do nosso tricolor. Rogério Ceni cobrou e acertou, 2 x 0 e o gol de número 92 do Mito.\o/

Essa vitória foi boa porque precisamos nos aproximar do G6, mas acabamos ajudando a galinhada, a certeza de que vamos para a Libertadores ano que vem só chegará domingo se ganharmos desses gambazinhos, será difícil, mas não impossível, temos potencial e camisa suficiente para conseguir essa vitória.

Quem venha o Corinthians. Vamo com tudo tricolor!!!

#VamoSãoPaulo

#EuAcredito


Imagens: spfc.net

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A luta continua!

Bom dia, queridos Tricampeões Mundiais!

Hoje é dia de ver o Tricolor em campo, sinto meu coração bater mais forte, já sou toda ansiedade para este que será mais um grande e importante jogo para nossas pretensões de disputar mais uma Libertadores .

Nossa batalha nesta quarta-feira é, nada mais nada menos, com o Cruzeiro vice-líder do campeonato e será jogada em Uberlândia, terra querida do Triângulo Mineiro. A recepção aos nossos jogadores foi calorosa, tudo indica que teremos muitos no estádio empurrando o Mais Querido e não pode ser diferente, meus amigos mineiros!

Para nós que estamos mais distantes e não podemos entrar no estádio, convoco vestir a camisa, estar de coração aberto e mandar toda a energia positiva do mundo para o Tricolor. Não, não é de desanimar e nem ao menos fazer críticas desnecessárias ao time, a hora é de total apoio. É hora de demonstrar todo amor que há em nós para que essa luta direta não seja perdida, vamos apoiar o clube que SEMPRE nos deu orgulho.

Nosso time não deve ser muito diferente do que entrou em campo contra o Atlético-PR, de novo só mesmo a volta de Lucas e o Carlinhos ou Cléber Santana no meio. Desses 11 jogadores quero ver não só um time veloz e ofensivo jogando bonito, quero ver um time com raça e vontade de vencer. Quero ver um campo um time que honra as cores que veste, mesmo que pra isso tenha de mandar bicuda e fazer gol de canela, eu quero um time vencedor!

Vocês devem estar estranhando minha postura diante desse pré-jogo de hoje, costumo ser mais informativa, não é mesmo? A verdade é que nessa altura do campeonato o coração vai contar muito, não só o dos jogadores, mas o nosso também. Pra conseguirmos essa vaga na Libertadores precisamos de muita tática e técnica e bastante CORAÇÃO!

Não sou muito boa em transformar meu sentimento Tricolor em palavras, como a May me descreve: "suas expressões corpóreas mostram o que ela está sentindo, mas palavras não!", mas é isso, só entrar em campo e jogar junto com meu time do coração!

Vamos torcer juntos ou você vai se escalar no time da corneta?

Um grande abraço,
Adri Ribeiro.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

São Paulo Campeão Brasileiro 1977

E já que é pra falar de grandes conquistas, o que seria melhor que falar do 1ª título nacional do Gigante?
O campeonato brasileiro de 77 teve a influência da ditadura militar, assim como os anteriores. Foi um campeonato inchado, com 62 clubes em uma única divisão. Na primeira fase, os clubes foram divididos em 6 grupos (4 com 10 clubes e 5 com 11. Classificaram-se os 5 primeiros de cada grupo. Na segunda fase, desses 30 clubes, classificavam-se os 3 primeiros de cada grupo. Os restantes passavam por uma repescagem, classificando-se apenas o primeiro de cada grupo. Todos esses clubes eram novamente divididos em grupos, e o vencedor de cada grupo iria à semifinal. Nas semis, sistema eliminatório com jogos de ida e volta. Finalmente, a final, com jogo único e mando de campo para o clube com a maior campanha.
O Tricolor era considerada a zebra do campeonato. E como não ser. Os favoritos ao título eram o Internacional de Falcão, Atlético Mineiro de Toninho Cerezo, Fluminense de Rivellino e Flamengo de Zico. Mas em 20 jogos, o São Paulo tinha 13 vitórias,3 empates e 4 derrotas, marcou 40 gols e sofreu 15. O Galo Mineiro, favoritíssimo naquela noite, tinha 17 vitórias e 3 empates, invicto no campeonato.
O jogo:
O jogo começou bem amarrado no primeiro campo. Aos 21 minutos, Chicão lança Zé Sérgio na ponta direita, mas o passe sai longo. Mesmo assim, Zé ganha a dividida com Vantuir e cruza para Viana, que cabeçeia para excepcional defesa de João Leite. A bola sai a escanteio. O tricolor paulista era muito mais perigoso.
Aos 44 minutos, grande defesa de Waldir Peres, na falta cobrada por Alves na entrada da área
Já no segundo tempo, grande defesa de Waldir Peres. Foi a única grande chance do Atlético na partida. Mas mesmo assim, o jogo foi para a prorrogação.
Na primeira etapa do tempo extra, percebia-se que a vontade dos dois times era levar o jogo aos penais. E isso acontece.
A primeira cobrança é do São Paulo. Getúlio cobra para defesa de João Leite, no canto esquerdo. -Toninho Cerezo cobra para o galo, batendo mal e mandando por cima do gol.
Chicão cobra o segundo para o Tricolor, mas escorrega na hora da batida e o goleiro do galo defende. Ziza cobra bem e finalmente abre o placar. 1x0 galo, depois de duas cobranças para cada equipe. Peres bate com categoria e empata para o tricolor.
-Alves converte, colocando o time mineiro em vantagem. Na vez de Antenor, mas uma bomba, empatando novamente a disputa.
E ai Waldir Peres, com toda a sua irreverência, começou a brincar. Passava a mão na cabeça do adversário e ria deles. Bezerra cobra bem, no canto esquerdo e faz 3x2 São Paulo.
Na vez de Márcio cobrar para o Galo, Waldir Peres dá um tapinha em sua bunda. Resultado: Márcio cobra alto, longe da meta e o tricolor paulista é campeão brasileiro de 1977.

Ficha do jogo: Atlético-mg 0x0 São Paulo Data 05-03-1978, no Mineirão.
Público: 102.974
Renda: cr$6.857.080.00
Árbitro: Arnaldo César Coelho
Cartões amarelos: Tecão, Angelo, Serginho, Bezerra, Peres e Neca
Atlético-MG: João Leite, Alves, Márcio, Vantuir e Valdenir, Toninho Cerezo, Angelo e Serginho, Caio(Joãozinho Paulista), Marcelo(Paulo Isidoro) e Ziza. Técnico Barbatana
São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Tecão, Bezerra e Antenor, Chicão, Teodoro(Peres) e Darío Pereyra, Zé Sérgio, Mirandinha e Viana(Neco) Técnico: Rubens Minelli

Confira agora os pênaltis do jogo:




Fotos: blog "Times Campeões"

sábado, 30 de outubro de 2010

São Paulo F.C.: o que teve

2ª feira, 25/10 - Derrota no Ceará não tira foco na Libertadores
Após a derrota no domingo para o Ceará, que brecou a sequência de vitórias do tricolor, os jogadores se mantiveram esperançosos em relação à vaga na Libertadores de 2011. A nove pontos do G3, o escrete espera a reação na Arena Barueri, na quinta feira.
3ª feira, 26/10 – começam os treinamentos
A equipe volta a treinar no CT da Barra Funda, mirando o jogo da 32ª rodada. Sem Lucas e Fernandinho, Carpegiani reforça a marcação contra o Furacão. Treinador coloca Casemiro ao lado de Rodrigo Souto e Carlinhos Paraíba no meio campo. Ilsinho e Marlos disputam a vaga de Lucas, suspenso.
4ª feira, 27/10: Fernandinho não treina e xará ganha chance. Atacante ainda sente dores na perna. Já Fernandão poderá ser titular diante do Atlético Paranaense. Sem Fernandinho, Carlinhos foi deslocado para o setor esquerdo do meio tricolor e Casemiro retornou ao time ao lado de Souto.


Mrs. Cherie Blair, esposa do ex-primeiro ministro do Reino Unido, Tony Blair visita o CFA de Cotia e o Estádio do Morumbi; Na primeira parte da visita, Mrs. Cherie Blair conheceu o CFA de Cotia, tendo circulado pelos campos de treinamento, alojamentos, refeitório, sede administrativa e instalações do futuro Hotel, hoje em fase final de construção. Mrs. Blair demonstrou ter ficado muito impressionado com as instalações do CFA Pres. Laudo Natel:
"Eu fiquei muito impressionada com as instalações do Centro de Formação de Atletas. Tudo é muito bonito e bem cuidado. Notei a preocupação do São Paulo em prover as melhores condições para os seus jovens atletas. E isso inclui a formação educacional dos jovens, alguns deles, inclusive, conseguiram se comunicar comigo em inglês. Isso mostra que, mais do formar jogadores de futebol, o São Paulo se preocupa em formar as pessoas."


5ª feira, 28/10: Rogério Ceni completa 700 jogos como capitão do Tricolor. Oficialmente, Ceni recebeu a tarja de capitão em 2001. Praticamente sua vida inteira no São Paulo foi com ela em seu braço esquerdo. Dos 936 jogos que fez pelo Tricolor, 700 foram como capitão - 74,6% das partidas. Posição dentro do time que deixa Rogério ainda mais respeitado por todos no elenco.
São Paulo x A.Paranaense: A Arena é nossa!
Após entrar em campo com a nova camisa comemorativa do aniversário do clube, o São Paulo foi prestigiado por mais de 16 mil torcedores (inclusive yo e Daniel Perrone, olha a gente lá).
Com uma bomba de esquerda de Ricardo Oliveira, em uma troca de passes com Dagoberto o Tricolor abriu o placar da arena mais sãopaulina do país. Mas em uma falha da defesa, aos 25 minutos o furacão empatou.
No segundo tempo, em cobrança de falta, Miranda pegou de cabeça a cobrança de Dagoberto e empurrou para o fundo do gol, se redimindo da falha da defesa no gol do furacão.
E ainda teve mais emoção: Ricardo Oliveira seguiu dando muito perigo no ataque, enquanto Rogério Ceni fez uma linda defesa e salvou sua equipe de tomar o empate na Arena.
6ª feira, 29/10: os jogadores voltaram ao CT da Barra Funda para uma recuperação no Reffis. Os reservas fizeram jogo-treino contra o Super20 de Cotia (que conta com o lateral e/ou zagueiro chileno Saavedra). Os reservas do profissional ganharam de 2 a 0, os dois do atacante Lucas Gaúcho (meu garoto).
A equipe sãopaulina volta aos treinos na segunda-feira, para se preparar para o difícil confronto contra o Cruzeiro, vice-líder do campeonato.


Fontes: Site Oficial SãoPaulo F.C., GlogoEsporte.com, Diário Lance.
Fotos: Vipcomm, Daniella

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O Campeão Voltou

Foi uma partida espetacular!

O São Paulo não fez outra coisa a não ser atacar. Aos 12 min. do primeiro tempo numa bonita tabela com Dagoberto Ricardo Oliveira (meu galã) mandou a redonda no teto do gol, foi um golasso, uma verdadeira arte. E a melhor parte foi a comemoração, uma dança meio esquisita ao lado de C. Paraíba.

A torcida já começou com a agitação, a Arena era nossa.

Mas antes q saíssemos para o segundo tempo, por um vacilo de Miranda Guerrón marcou um belo gol também. Para Richarlyson e Miranda foi bem difícil marcar o equatoriano, forte rápido e habilidoso. Deu trabalho, mas não venceu.

Terminou o primeiro tempo 1x1.

A volta ao campo foi melhor ainda, não houveram falhas dos nossos meninos. Hoje não tenho o que criticar, era o time certo jogando certo, fazendo o que podia e o que sabia. Atacamos o tempo todo, Fernandão, Dagoberto, Marlos, Jean, Richarlyson, Alex Silva e Miranda é Miranda, aquele que falhou no gol de Guerrón, marcou um gol de cabeça também, não perdeu a oportunidade, nessa hora pensei que a Arena ia cair, a torcida cantou muito. 2x1

Mas ainda houve um lance que não posso deixar de citar, a defesa de nosso Mito, Rogério Ceni alcançou uma bola que ninguém esperava, ninguém que não o conhecia, pois quem está acostumado com o sensacional Ceni sabia que ele podia fazer aquela defesa, e fez.

A busca era pelo terceiro gol, e em um momento eu comemorei e Ricardo Oliveira também, Marlos foi pra cima da marcação, pedalou e lançou no pé de Ricardo que bateu cruzado, a bola tirou tinta da trave, mas não entrou - "Uhhhhh!" (eu).

O terceiro gol infelizmente não saiu, mas o primeiro, o segundo e o terceiro ponto vieram. 47 pontos e 7º posição.

#VamoSãoPaulo

Foto: Site oficial

São Paulo x Atlético-PR: O jogo de 6 pontos!


Saudações, meus queridos Tricolores!!!

Hoje temos uma batalha, não é mesmo? É hora de deixar o jogo do Ceará para trás e focarmos no Atlético-PR. A Arena Barueri será novamente a nossa casa e é de suma importância que ela seja para total apoio ao Tricolor nesse jogo.

Para alcançarmos a nossa tão famigerada Libertadores, não podemos pensar em outro resultado que não seja a vitória, para isso é necessário um equilíbrio entre defesa e ataque. Alex Silva, Casemiro, Richarlyson e Dagoberto voltam ao time, nosso menino prodígio Lucas ficará fora pelo terceiro cartão amarelo, outro que entrou no domingo passado e permanecerá é Fernandão, que está precisando correr um pouco mais.

Ao que tudo indica, este não será um jogo fácil, o Atlético-PR, assim como o São Paulo, luta pela Libertadores, o furacão está 3 pontos à nossa frente, ou seja, este será um jogo de 6 pontos para no nosso Mais Querido. Lembrando que esse será o primeiro confronto de Carpegiani com seu ex clube, será que isso nos ajuda? Espero que sim!

Galera, mas não quero hoje destacar esquema tático ou posicionamento dos jogadores, mas quero agora falar dessa paixão que move a nossa torcida, o nosso clube. Após muito tempo no topo ou brigando por ele, nos vemos em uma zona um tanto quanto diferente e a possibilidade de ficar fora da nossa "Copa do Mundo" existe. Quero ver entrar em campo um time aguerrido, pronto pra vencer qualquer adversidade, um time capaz de transpirar sangue em campo e buscar a vitória custe o que custar! Quero ver 11 guerreiros lutando por um só objetivo que é honrar o nosso manto sagrado!

Será que estou pedindo demais?? Acredito que não!

Cabe a nós também vestirmos a camisa e apoiarmos esse time até o fim. Hoje se você pode, não deixe de ir ao jogo, ou mesmo, não deixe de vestir o nosso manto sagrado. Vamos embalar quem sempre nos orgulhou!

Um grande abraço,
Adri.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Anayrê SPFC Soares!!

Ficou um pouco difícil pra eu contar minha história de tricolor depois da Mayra (@Maayy_may) ter contado a dela, já que somos irmãs e nascemos na mesma família. Mas temos opiniões, visões e versões diferentes de tudo o que aconteceu.

Como ela lhes contou, somos são paulinas graças ao nosso bisavô, que colocou no mundo mais 12 são paulinos, o homem era uma máquina de fazer filhos, mas acalmem-se, as três primeiras meninas eram do primeiro casamento, e foi deste primeiro casamento que nasceu minha avó Cercina Silva Soares. Esta foi a primeira fanática Soares, se casou com meu avô, mineiro e torcedor do galo. Quando veio pra cidade de São Paulo virou santista ou pelézista, não sei, mas mesmo assim seus dois filhos (meu tio Osvaldo Soares e meu pai Carlos Henrique Silva Soares) são e sempre foram são paulinos.

Meu pai e seus primos eram muito fanáticos, são os tipos de torcedores que gritam, choram, amam, correm, ficam roucos, e entregam toda sua emoção antes, durante e depois do jogo. (bonito o negão né? fala sério!!rs)










Essa que apresentei agora é a família de meu pai, certo?













Bem, a família de minha mãe tem uma história trágica, mas ela saiu dessa fria, graças a Deus e a meu pai.

A família de minha mãe é torcedora das galinhas, mas ela sempre foi muito inteligente, e aos nove anos após um jogo em que o “timão” tinha perdido é claro, viu sua tia chorando por causa do time, e disse:

- Eu não vou torcer mais, o Corinthians só perde, não quero ser corinthiana mais.


Quando minha mãe me conta essa história, sinto uma alegria no coração, minhas veias pulsam, e sinto um alívio na alma. Seria horrível uma mãe corinthiana.

Meus pais se conheceram e se apaixonaram, minha mãe não torcia pra time nenhum, com o tempo foi se identificando com o tricolor, assistindo todos os jogos e torcendo pra contar pro meu pai que trabalhava muito.

E como todo homem fanático por futebol, meu pai queria um filho homem, e em 1988 nasceu a Mayra Soares =/.

Ele colocou o macacão do São Paulo nela e tudo resolvido.

Ele esperou mais um menino, e em 1990 eu nasci =/² .

Nasci e ele colocou o macacão do São Paulo em mim.

Sou uma são paulina muito gloriosa, em 1991 eu tinha 1 aninho, e ganhamos o brasileiro, 1992 a Libertadores e o Mundial, e minha mãe que dizia não torcer pra ninguém se apaixonou pelo futebol de Palhinha. Foi ela quem assistiu comigo e com a May do lado, eu ainda falava tudo errado e era um pouco desequilibrada com minhas perninhas gordas, mas minha mãe me ensinava a pular, gritar e sorrir a cada gol do SOBERANO.

Em 1993 eu tinha aprendido a lição, mas este ano meu pai estava do meu lado também, e como todos estamos cansados de saber e de exibir no peito nossas estrelas, fomos campeões.





Nos mudamos para a cidade de Caieiras em 1992, aqui na rua de casa todas as meninas da idade da Mayra (que começou a ir pra escola e fazer amizades) eram corinthianas e um dia a Mayra falou:

-Pai todas as meninas são corinthianas eu também posso ser?

Meu pai logo jogou a real:

- Você quem sabe filha, mas só uma coisa, Deus não gosta de corinthiano, e você nunca vai ganhar um campeonato importante!!

Eu estava ao lado, olhei pra May e ela pra mim, nunca mais isso passou pela cabeça dela, na minha já não tinha passado, e agora muito menos.

Em 1995 veio o menino tão esperado por meu pai, meu maninho.

Mas acho que meu pai quis tanto que os primeiros filhos fossem homens, que hoje eu e a May gostamos muito mais de futebol do que nosso irmão (Caíque).

Cresci e aos meus quinze anos fui tricampeã Mundial (2005), sempre gostei de futebol, mas confesso que a paixão verdadeira me ajudou a entender um pouco mais sobre meu clube.













Em 2007 conheci meu namorado, um cantor e louco pelo São Paulo. Pensei “ganhei na mega sena”, rs.

Foi fácil para nos apaixonarmos.

Hoje sou uma torcedora mais fanática e mais apaixonada que antes, e a tendência desse amor é só a de crescer. Sou a torcedora da fé, tenho pressentimentos e previsões, algumas são erradas, mas no que depender de mim dará certo.

Muitos amigos torcedores de outros clubes acham que torço pelo SOBERANO por influencia de meu pai ou do meu namorado, mas não, desde quando comecei a entender de futebol, conhecer a história e os títulos do São Paulo torço de coração, e principalmente com consciência. Torço porque sei que és o melhor, torço porque penso, porque gosto de torcer pra quem tem capacidade de vencer, pra quem tem méritos, e não pra maioria burra chucra, que quando vence, vence cheia de privilégios.


Para assistir um jogo importante, tenho que estar uniformizada e quem estiver comigo me acompanha. Visto papai, mamãe, meu irmão, a May, o namorado, e a vovó também entra na dança. Sento no meu lugar preferido e xingo o narrador, costumo discutir com o comentarista e falar mal da arbitragem.


Torcer pelo São Paulo me dá prazer, é algo que faz parte de mim.

Ser são Paulino é ser inteligente, é ser diferente,é ser único, é ser bom, mas tão bom a ponto de se tornar SOBERANO.

Como eu te amo tricolor, como eu te amo demais.....

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Eis o Clube da Fé

Saudações Tricolores!

Hoje iniciaremos a série "Jogos Históricos", vamos relembrar momentos marcantes do nosso Mais Querido. Como sabem, nossa contadora de história oficial é a Dani, mas especialmente hoje darei o ponta pé inicial.


Como estamos falando em início, nada como começarmos com o primeiro jogo do São Paulo Futebol Clube. Como bons torcedores, vocês sabem que no dia 16 de dezembro de 1935, o então São Paulo da Floresta renasceria como o nosso Mais Querido. Permaneceríamos com o mesmo nome, mesmas cores, mesmo escudo, mas predestinado a uma nova história!

No ano seguinte então filiamos o novo time à Liga Paulista de Futebol, pra ser mais exata, no dia 25 de janeiro. e nossa estréia oficial estava marcada e seria contra a Portuguesa Santista, no campo do Palestra Itália.

Um fato curioso desse jogo é que haveria no dia uma parada militar na cidade, e nessas ocasiões, não era autorizado outros eventos públicos e ninguém se tinha se dado conta desse detalhe. Cerca de uma hora antes do jogo, o tenente Porfírio da Paz (autor do hino mais lindo do mundo) saiu louco pela Av. Paulista em meio ao desfile em busca de uma autorização do secretário da Educação Cantídio Campos. Só então após conseguir a autorização num papel de receita, que os portões do Palestra foram abertos.


Em campo para o nosso primeiro de tantos jogos e glórias tínhamos: King; Rui e Picareta; Ferreira (Júlio), Joséo e Segoa; Antoninho, Gabardo, Gutierrez (Juca), Carazzo e Paulo. Vencemos por 3 x 2 e EIS QUE NASCIA O CLUBE DA FÉ!

Nossa história já começa linda, não é verdade? Esse é só o primeiro de muitos jogos históricos que virão por aí! Espero ter honrado a nossa história e os textos da Dani!

Um grande abraço,

Adri Ribeiro.

fonte: Revista O mundo do futebol - São Paulo edição histórica.
fotos: wikipedia

domingo, 24 de outubro de 2010

Como assim São Paulo?

Salve torcida Tricolor!

Desde criança, ali na fazenda do meu avô nos pequenos campeonatos da família Ribeiro Barbosa, aprendi que um time de futebol tem 11 jogadores: goleiro, laterais ou alas, zagueiros, volantes, meias e atacantes ou centroavantes. O esquema pode até variar de 3-5-2, 4-4-2, 3-6-1, mas sempre teremos essas posições.

Certo? No São Paulo não parece ser bem assim.

O time foi escalado sem um lateral e sem um volante de origem e recheado do meio pra frente com atacantes. Renato na lateral, Paraíba de volante, Lucas, Ricardo, Fernandão e Fernandinho à frente. Isso indicaria um time rápido e bem ofensivo e TODOS com obrigação de voltar pra marcar, fazendo com que a falta de jogadores na posição correta não fosse sentida ou a Adri está errada?

Tudo bem, jogamos assim contra o Santos e deu certo, por que hoje não daria?

É, poderia ter dado certo se a postura do time tivesse sido a mesma. O time entrou completamente desorganizado e com 100kg em cada perna. Após Renato Silva abrir o corredor pro Ceará ficou ainda pior, (lembrando que ele já é ruim como zagueiro, imagine lateral) 1x0.

Quando todo mundo dava graças a Deus pelo PCC chamar o Ilsinho, pensando que ainda dava pra arrumar o time tirando o Renato, quem saiu foi o Xandão que ao meu ver não jogava mal. Pra castigar ainda mais, já em seguida outro gol do Ceará e, diga-se de passagem, um golaço depois de um erro do Carlinhos Paraíba.

Nessa hora eu já estava numa revolta que só, mas não sou do tipo que desiste do meu time num jogo, acreditava que Lucas, Ricardo ou Fernandinho tivessem algum momento brilhante. Mas não, não tiveram e pior, foram completamente abaixo do esperado. E o Fernandão? Tá mais lento que o Ronaldo. Ainda entraram Marlos e Zé Victor (volante no lugar do lateral), mas nada surtiu efeito e assim o jogo foi até o final.

Depois de hoje pergunto, é necessário mesmo tantas improvisações? Vocês acham que os jogadores na atualidade estão preparados pra desempenhar qualquer função em campo? Sinceramente, eu não sei.

Talvez eu tenha escrito um monte de besteira no meu texto e não entenda nada de futebol, mas vejo que da forma que jogou hoje não vamos a lugar nenhum. Time desorganizado e sem vida, assim não dá!

De lindo nesse jogo só mesmo a entrada do do Rogério Ceni com o garoto Carlos Roney nas costas. Ele mais uma vez mostrou o que é ser um ídolo e ser humano!

O domingo valeu pela iniciativa da Fê, pelo apoio da torcida e pela assessoria do Tricolor que nos ouviu e foi atrás do Carlos! Foi certeza uma lição de vida para todos nós, espero que exemplos como esse sejam seguidos, pois sabemos que existem milhares de Carlos pelo Brasil a fora. Se cada um fiz um pouquinho... talvez ajudar o mundo seja difícil, mas por que não o próximo?

PARABÉNS A TODOS, FICO ORGULHOSA COM ESSA ATITUDE E MAIS FELIZ POR SER TRICOLOR!!!


Um grande abraço desse pequena torcedora, que ainda não entende muito de futebol!

Adri Ribeiro.


FOTO: Rubens Chiri

sábado, 23 de outubro de 2010

Em busca da 4ª vitória!


Salve torcedor do Maior do Mundo!!

Amanhã nosso Mais Querido entra em campo contra o Ceará lá em Fortaleza e vai em busca da quarta vitória consecutiva, seqüência ainda não alcançada pelo Tricolor no Campeonato Brasileiro desse ano.

O astral no Tricolor não poderia ser melhor após a vitória épica sobre o Santos, estamos todos de alma lavada e sem dever nada a Neymar e compania. Ah como é bom ganhar do Santos, ainda mais quando se tem uma mãe santista te zuando o ano inteiro! BOM DEMAIS!

Tudo bem, time legal... mas espera aí, Alex Silva, Richarlyson e Jean estão suspensos, três baixas pra um jogo. E agora José?

Para minha alegria Xandão está de volta depois de se recuperar de uma lesão na coxa e vai pro jogo, mas até pra mim que sou fã número 1 dele, sei que com um mês parado ele não está 100% para atuar, falta ritmo de jogo, colocar Samuel ou Renato Silva? Melhor não, vocês não acham? Só que do Renato a gente não vai escapar, ele entra no lugar de Jean, o que deixa o jogo mais emocionante [irônica] e o jovem Diogo entra na lateral esquerda, enfim um lateral de origem.

Até aí estava tudo bem, mas agora o astro da noite contra o Santos pode ficar de fora do jogo. Dagoberto usou um medicamento não autorizado pelo comitê antidoping por causa de uma gripe e pode ser vetado por precaução. Ricardo Oliveira pode fazer dupla de ataque com Fernandão, e foram justamente os dois quem fizeram os gols na vitória do primeiro turno contra o Vozão. Vamos torcer pra que se repita.

Tudo isso e mais o calor desse nosso país tropical são ingredientes para a partida desse domingo. A torcida em Fortaleza com certeza apoiará o time e assim vamos em busca dessa quarta vitória e por consequência subir na tabela. Vamos São Paulo!!

Um abraço pra quem acompanha e faz desse blog um sucesso!

Adrii Ribeiro.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

E o Tricolor voltou a sorrir!




Salve amigos e amigas Tricolores!

Olha quem está aqui de novo e o muito mais feliz, diria de alma lavada depois de domingo!

Nosso Mais Querido, após ter no comando Paulo César Carpegiani é só alegria. Três jogos e três vitórias e o que era desconfiança por parte da torcida, se torna esperança a cada jogo.

Com uma maneira completamente fora do habitual no Tricolor, Carpegiani diferente de Ricardo Oliveira e Baresi, adotou um esquema completamente ofensivo, com Lucas, Dagoberto, Fernandinho e Ricardo Oliveira. Esta formação já nos rendeu nove gols em três jogos. O que ainda preocupa não só ao técnico, mas a todos tricolores é a média de gol sofridos, foram cinco nos dois últimos jogos. Ainda é necessário um equilíbrio no time, que esperamos que venha no decorrer das próximas partidas.

Dagol Dagol Dagol, três vezes Dagol!

"O Dagoberto é um jogador excelente e excepcional." Carpegiani após a vitória contra o Vitória na Arena Barueri.

O novo técnico Tricolor também assumiu uma postura ímpar em relação ao Dagoberto, alheio as “más relações internas” de alguns com o jogador, PCC deixou claro a importância dele ao time e o titulou seu camisa 10! E ao que parece, Dagol está se sentindo muito bem e motivado com tudo isso. Dois jogos e três gols, e a torcida agradece!

Depois de tantos elogios ao Dagol, seria injusto não falar de outro que está jogando muito no novo esquema: Ricardo Oliveira. Depois dos três gols contra o Grêmio Prudente, o nosso atacante pitou de garçom servindo o companheiro em duas oportunidades, ta jogando MUITO!

E a Libertadores?

O que parecia impossível agora já não é mais. A tão quista vaga no G3 está cada jogo mais próximo e pode ser ainda facilitada se voltar o G4 como propõe a Conmebol. Obviamente essa volta é uma jogada do Ricardo Teixeira para ajudar o time da marginal sem número, que está caindo pelas tabelas, mas pode ser de grande valia para nós Tricolores. PCC diz não se iludir com isso e espera que todos estejam focados para assim lutar pelas metas fixadas.

O fato é que com G4 ou G3 o Tricolor está subindo e com alguns confrontos diretos pode sim alcançar a vaga da Libertadores em seu 8º ano consecutivo, alguém duvida do Soberano?

Um grande abraço e um beijo no coração de cada leitor!

Adri Ribeiro.


Foto: Rubens Chiri

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Meu manto é vermelho preto e branco, meu escudo é um coração de 5 pontas!

E assim chegamos ao último capítulo da História do Tricolor. Último capítulo por enquanto, pois temos a absoluta certeza que esta série será atualizada a cada ano...

Após a conquista do Mundial de 2005, Autuori deixa o Tricolor e se transfere para o futebol japonês. Para o seu lugar, a diretoria traz Muricy Ramalho, que já treinara o time em 96, após a saída de Seu Telê, porém dessa vez, com novo status, e para fazer estragos. E que estragos...
O time já não era mais o mesmo. Lugano foi para o Fenerbahce, Cicinho para o Real. Mas para os seus lugares, vieram Miranda e Ilsinho.
Muricy fazia com que seus jogadores soubessem qual era sua posição em campo, seus locais nas cobranças de faltas e escanteios e saber tudo sobre o adversário. Toda essa “ obsessão” levou o time a uma campanha consistente: apenas 4 derrotas em 38 jogos, e a conquista do campeonato com 3 rodadas de antecedência. 28 jogos na liderança, 66 gols, uma defesa que sofrera apenas 32 gols (menos de um gol por jogo!) 68 mil torcedores (eu tava lá!) esperando o fim do jogo entre Paraná e Internacional. A derrota do Inter daria a vitória do campeonato ao São Paulo. Leandro já estava em cima da trave, e Rogério era o único a não comemorar. Mas foi por pouco tempo. Vencemos com Rogério Ceni; Ilsinho, Fabão, Miranda e Júnior; Mineiro, Josué, Souza (Thiago) e Danilo; Leandro (A.Dias)e Aloísio (Lenílson).

2007, tudo de novo. Josué e Mineiro saíram, mas vieram Jadílson, Borges, Hugo, J.Wagner e Dagoberto.
E números ainda mais impressionantes: 2 meses sem perder (da 13ª à 28º rodada). 9 partidas sem tomar gols! 4 rodadas de antecipação, 15 pontos de diferença sobre o segundo colocado (77 contra 62, do Santos).
Em 30 de outubro, uma quarta-feira em que o Morumbi estava lotado por 70 mil pessoas. Eu, da arquibancada laranja, vi Hernanes soltar o canudo de longe e marcar. Vi também Miranda marcar de cabeça no começo do segundo tempo, e Dagoberto fechar o caixão. 3 a 0 sobre o América de Natal. É Penta! É 5-3-3!


Mas não seria possível repetir tal feito. Um tricampeonato legítimo não aconteceria, pois um raio pode até cair duas vezes no mesmo lugar, mas três, jamais. Quem pensa assim, não é são paulino, ?
Após a eliminação na Libertadores, o time da Fé era a cara da derrota. O desânimo era visível. Ao final da 20ª rodada, 11 pontos de diferença para o líder.
Mas meio dorminhoco, o São Paulo toma um fôlego, com Muricy gritando: Vamo lá, vamo lá!
E de ponto em ponto, alcançamos o Grêmio. Na 37ª rodada, bastava uma vitória sobre o Fluminense para conquistarmos o Hexa em casa. Lóóóóógico que eu não perderia essa, afinal, jamais perderia a conquista do Hexa! Não... não deu certo. Empatamos e o Grêmio venceu o Ipatinga por 4 a 0, deixando-o vivo no campeonato.
O último jogo, contra o Goiás, seria disputado em Gama, no Bezerrão. Putz! O São Paulo seria hexa e eu não estaria lá. Eu chorei de ódio! Mas quando veio a proposta: Dani,a gente mete mais 3 no carro e vai pra lá também! É só rachar a gasolina e a gente leva bolacha e Fandangos. Demorô?” Demorô, seria a minha primeira viagem atrás do Gigante!
24 horas de viagem dentro de um Corsa com 4 moleques, cantando o hino do Tricolor e comendo Fandangos e Cheetos! Foi tenso, mas vimos “In loco” o gol de um metro e meio em impedimento que o Borges fez, que deu o título que ninguém mais terá: O TRI-HEXA!


O 6-3-3! O Soberano! Como disse José Simão, nem múmia tem tanta faixa assim!
HEXA! Só nós somos!
...Meu manto é vermelho preto e branco, meu escudo é um coração de 5 pontas tricolor...

domingo, 17 de outubro de 2010

Quando a vitória é nossa ninguém pode tira-la das nossas mãos


Houve falhas e oportunidades que foram desperdiçadas.


A primeira falha infelizmente foi do nosso Capitão, R. Ceni errou, mas isso não prejudicou o time.


A segunda falha foi de Miranda, no momento em que aconteceu o segundo gol do Santos.


A terceira foi de Richarlyson, foi imprudente demais no momento da expulsão, uma falta extremamente desnecessária.


E a quarta falha foi do arbitro, quando marcou o pênalti que não existiu em cima do famoso cai-cai Neymar.


Essas foram falhas, sem a menor duvida, mas em minha opinião houve mais. Como a entrada de Renato Silva, que eu particularmente sou sempre contra, já que não conseguimos torcer para que ele ajude o time e sim para que não atrapalhe.


Dagoberto é inconstante, nunca sabemos qual o dia em que o jogador acordou bem e jogará espetacularmente bem, como aconteceu hoje, portanto já que ele estava bem não deveria sair, mas saiu.


Mas essas outras questões são apenas pontos de vista, entendo os motivos de Carpegiani e sei que a entrada de Renato Silva foi para melhora da zaga, sei que Marlos também é rápido um bom trunfo para ganhar um jogo como este.


Como muitos já disseram, Carpegiani não é o técnico de nossos sonhos, mas é um técnico e até que o mesmo me prove que não é um bom profissional, eu acredito nele e o apoio.


Estou feliz e satisfeita com os últimos resultados, com a formação do time, com o ataque, com a ousadia, e espero que ele seja a nossa solução para o G3.

Mas houve glória, méritos e boas jogadas que não podem ser esquecidas, afinal foi isso que nos deu um bom resultado.


Dagoberto foi a bola da vez desta tarde, o autor dos dois primeiros belos gols foi inteligente o suficiente para fazer as suas firulas na hora certa, sem perder oportunidades para fazer bonito.


O terceiro gol tricolor foi feito pelo jogador habilidosíssimo da equipe adversária, Pará fez um belo gol contra.


Ricardo Oliveira e Fernandinho também fizeram uma ótima partida, Jean não fez a sua melhor partida pelo clube, mas o seu prazer em vestir essa camisa é o que me traz alegria em vê-lo jogar, e foi pela sua persistência que saiu o gol da vitória.

Foi um clássico espetacular, foram sete gols sem contar as ameaças, as belas jogadas, e as belas defesas. E foi um jogo justo, venceu quem jogou melhor 4 x 3.


Vitória tricolor, quatro pontos a mais, três são notados na tabela e o quarto é esperança notada no coração do torcedor, na emoção de cada jogo e em busca da Libertadores.


Vamo São Paulo.